17 de abril de 2011

Na poeira do olhar




Cacei o olhar das nuvens!
Num apelo de pálpebras
Esguias janelas a me censurar
E de tudo que vi...do lago ao mar
Não deixei perdido nada, nada!
Assiino aqui mais um poema
Talvez o doce poema guardado
À calmaria das estrelas
Na poeira do meu olhar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário