18 de novembro de 2009

DESCONHESIDO POETA BRUNO



Angustia

Quarta, 18/11/2009 - 15:42

Cercada pela angustia
ela está
triste desamparada
sem ao menos saber onde está


É triste o vazio
de um coração
sofre sozinho
sem qualquer explicação


Tenta se conter
mas só faz a chorar
Chora sem motivo
por tanto se calar


Vive angustiada
não sabe como fugir
triste isolada
não tem com quem se abrir


Se pudesse falar
não mais se calar
Poderia então
a felicidade encontrar...


POEMA AS BRUXAS
"Este poema escrevi pra uma amiga que estava passando por uma situação assim"
íí corpo violado a luxuria


Quarta, 18/11/2009 - 12:38
#
#
#
#




NÃO!


Não foi amor o que aconteceu naquela noite! Não foi sexo!
Foi crime! Foi uma seção de torturas!
Sim, torturastes meu corpo


Torturastes minha mente
Torturastes minh´alma
Violastes minha vida
Violastes meu espírito


Violastes minha carne
Sim, "conjunção carnal sem consentimento"
Sim, "vilipêndio a cadáver",
Foi isso, isso o que aconteceu...


pois eu estava morta!
Meu corpo frio, tomastes à força para satisfazer vossa lascívia,
Sim, forçosa e violentamente...assim me tomastes...
Mas, eu estava morta!


Por sorte eu estava morta!
Era apenas corpo, apenas carne...carne que comestes fria!
carne dura! carne e ossos! sequer o sangue corria em minhas veias!
um corpo vazio!


Enquanto matavas teus desejos, tuas vontades violando meu corpo morto, meu corpo vazio...
...babando, se acabando,grunindo...eu estava morta...por sorte eu estava morta!
Minha alma estava em outra dimensão...em outro plano...bem longe dalí...


Enquanto marcavas tuas mãos na minha pele,
Enquanto cravavas teus dentes na minha carne,
Minh´alma estava ausente...meu espírito transcedente...
Pode-se dizer que estavam em "hemisfério oposto", estavam vagando


Por fim! terminara!
Minh´alma ao corpo retornara,
à carne...

Choro lágrimas de sangue,

Choro lágrimas de tristeza,

Choro lágrimas de dor!


Meu corpo marcado pela violência,

Meu corpo destruído,

Meu corpo abandonado,

MEU CORPO VIOLADO!

by julha vasconselo +_ setembro 2009



A viola


Quarta, 18/11/2009 - 04:01

A viola chora,
Perdeu sua essência
Trocaram a viola
Pela violência...


A viola sofre
O mundo mudado
E o som da viola
Ter-se violado...

A viola resiste
No amor se sustenta
Se nega a viola
A ser violenta...


A viola vibra
Quando um guerreiro
Assume a viola
Quer ser violeiro...

A viola aceita
A doce fusão
O som da viola
Com o violão...


E fica a viola
Chorando o destino
O seu (da viola)
E do violino...


A viola chora
Perdeu sua essêcia
O som sem viola
Já é violência...


No mundo moderno
De sons de teclado
O som da viola
Foi violentado...


E grita a viola
Com indignação
"Imitar a viola
É violação"!!!

Sussurra a viola:
"Foi o computador"
Aponta a viola
Seu violentador.

violento!

Nenhum comentário:

Postar um comentário