1 de outubro de 2009

COMO VIVER A VIDA


COMO VIVER A VIDA

Uma das maiores verdades que já foram ditas, mas que nem todos levam a sério, pelas mais variadas razões, é quando se diz que a vida deve ser vivida enquanto vivos estivermos.
Parece uma bobagem, pois se estamos vivos, é porque estamos vivendo a vida.
Acontece que existe uma diferença entre viver a vida, e passar pela vida.
Viver a vida, é procurar tirar dela o maior proveito possível, procurar realizar os sonhos que tivermos, por mais loucos que pareçam ser. Claro que nem todos poderão ser realizados, mas o simples fato de tentarmos realizá-los, já tem suas compensações, pois algo estaremos fazendo para "viver a vida". Uma vida sem sonhos, sem objetivos, acaba sendo uma vida sem graça.
Passar pela vida, é simplesmente aceitar tudo o que ela nos oferece, sem nada procurar fazer para melhorá-la. Sem nada fazer para dar algum sentido a nossa existência, sem buscar algumas emoções, sem sentir que por algum motivo estamos aqui. Sem, enfim, ter algo porque continuar vivendo.
Recebi um e-mail de uma amiga, que prefere não ser identificada, razão pela qual vou fazer pequenas alterações que possam identificá-la, apenas para mostrar, como exemplo de conformismo, que, penso deve ser evitado por quem ainda está em tempo de "acordar para a vida":
Eu vivo de recordações Marcial. Meu presente não é tumultuado porque minha ficante é uma pessoa boa, mas é sem graça, insosso. Passei a vida inteira a ver navios. Olhar pela janela sem saber o que fazer da vida, esperando o tempo passar e meu dia chegar. É uma vida sem graça, que vem e que passa. Quando surge uma música que me recorda namoradas antigas, fico sensível, e com vontade que o tempo volte e eu possa viver aqueles momentos de novo. Sou um satélite voando no espaço. Não tenho mais sonhos e nem prazer. Vou fazer 19 anos de viver uma vida de bed boy e nunca tive uma noite de paixão. Incrível né??? Mas... a vida passou e eu deixei que acontecesse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário